top of page
  • criacao500

#Case 03



Com a ferramenta do Benchmarking disponível, podemos comparar o resultado e indicadores-chave de determinada fazenda com outras de mesmo sistema. Neste estudo de caso, vamos exemplificar o uso do BMK para avaliação do resultado de um projeto de uma fazenda de recria e engorda.

Neste caso, vamos utilizar a página de “Indicadores-Chave” e filtrar pelo sistema de produção RE (recria e engorda) para realizar o comparativo, conforme imagem a seguir:



A fazenda em questão apresentou o resultado de R$595,00, um pouco abaixo da média das fazendas de recria e engorda presentes no Brasil. Porém, a rentabilidade foi de 18,1% e a margem operacional de 54,4%, maiores que a média nacional.

Dessa forma, vamos utilizar os três indicadores-chave com maior correlação com o resultado para entender os possíveis pontos de melhoria no resultado.

  • Custeio em R$/cab/ano

A fazenda teve um custo de R$341,70/cab./ano, valor bem abaixo da média das fazendas de mesmo sistema de produção. Isso contribuiu positivamente para o resultado da fazenda e para a alta margem operacional apresentada em 2021.


  • Produção @/cab/ano e Produção @/ha/ano

Em relação a produção de arrobas, a fazenda produziu 4,7@/cab./ano e 4,0@/ha/ano, valores abaixo da média para os dois indicadores. Dessa forma, como a produção de arrobas impacta no resultado da fazenda, estratégias que melhorem os dois indicadores devem ser buscadas.

Uma das principais ações realizadas em 2022 foi a divisão de áreas de pastagens, principalmente de pastos de Andropogon, além da colocação de bebedouros em vários pastos. Com isso, é esperado que o manejo do pastejo melhore, resultando em maior aproveitamento do capim produzido, possibilitando a redução do tamanho dos lotes, o trabalho com mais lotes de desponte, o repasse com mais divisões disponíveis e fornecimento de água de maior qualidade. Todos esses itens combinados devem proporcionar ganhos superiores por cabeça e por hectare, sendo que o aumento da produção por hectare é resultado do maior ganho esperado por cabeça e aumento da taxa de lotação.

Quando comparamos a taxa de lotação ocorrida em 2021 com a ocorrida + prevista para o final de 2022, podemos identificar o aumento da taxa de lotação (kg de peso vivo por hectare), principalmente durante o período das águas:


Com a melhoria no manejo de pastagens, temos expectativa de melhoria na produção de arrobas para 2022:



Apesar da expectativa de melhora significativa na produção de arrobas entre os dois anos, ainda há espaço para melhorias nestes dois indicadores, quando comparado a média do Benchmarking, que devem ser trabalhadas em busca de melhores resultados.



Consultores responsáveis:

Marcelo Coelho

Diogo Olímpio Chaves de Sousa

217 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

#Case 02

#Case 01

bottom of page